Posts in the old school category

Quadros com moldura exclusiva da Vudu! em formato de caixão feitos em madeira e pintados de preto fosco. Os desenhos temáticos também são feitos exclusivamente para eles. Clique aqui e confira!

quadroscaixaoF

CaixaoMorte01

CaixaoVampira01

CaixaoSereia01

“Kustom Kulture” é uma cultura underground surgida na década de 1950. Empregada em diversas áreas como trabalhos artísticos em automóveis (aerografia, pinstriping, Hot Rod), artes como tatuagem, música, entre outros meios, além de caracterizar um estilo de vida.

O conceito surgiu nos Estados Unidos e possui adeptos em todo o mundo nos dias atuais.

Nos início do movimento hot rod, haviam diversos estilos de customização rolando. Ao longo do tempo, cada um desses estilos distintos de personalizar se misturaram e reformularam a nossa vida cotidiana.

Artistas como Von Dutch (Kenny Howard), os construtores de carros personalizados, Ed “Big Daddy” Roth e Jeffries Dean, que também customizavam motos, os Irmãos Barris (Sam e George Barris), juntamente com numerosos artistas, tatuadores, ilustradores, pintores de automóveis, filmes e programas de televisão da época ajudaram a formar o que é conhecido hoje como Kustom Kulture.

 

Faz tempo queria escrever sobre Sol Rac, meu ilustrador rocker preferido mas não há muita informação sobre ele na net.

Então… entrei em contato e ele respondeu algumas perguntinhas (emoção!) para que eu pudesse fazer esse post.

Sol Rac é argentino e mora em Buenos Aires.

Seus desenhos tem um estilo muito pessoal, daquele tipo que você bate o olho e diz: “Sol Rac!”.
A temática é, claro, rockabilly-psychobilly-old school.

Ele  faz muitas  ilustrações para bandas do gênero, logos, poster para shows, capa de cds:

Muitos posters para festas ao redor do mundo:

Sol Rac tem uma marca de roupas a Little Monster (se for para a Buenos Aires não deixe de conferir a loja) sua mulher Carol Sanchez é estilista da marca.

Eu encontrei camisetas Little Monster aqui em São Paulo, na Galeria Ouro Velho, na Augusta. E claro, garanti a minha.

Mas além de criar ilustrações que enfeitam peças de roupas de sua própria marca, os desenhos de Sol Rac enfeitam roupas de várias grifes ao redor do mundo.

A inspiração pra criar essas imagens bacanas vêm claro da arte e da música.

As bandas que ele mais curte são The Rhythm Shakers, Hi Strung Ramblers, Luis & the Wildfires, Santos,  “The Caezars” e as preferidas The Quakes e Polecats.

Ele dá a dica: “As bandas de rockabilly e psychobilly da gravadora Wild Records são muito boas.”

Suas referências artísticas estão no passado, apesar de admirar muitos ilustradores atuais. Seus artistas preferidos são:

Basil Wolverton – cartunista americano que fez trabalhos para a Marvel Comics e Mad. Seus personagens tem aparência grotesca e bem-humorada.

Joe Shuster – cartunista canadense que em parceria com Jerry Siegel criou em 1938 o Superman.

 Harvey Kurtzman –  americano criador da revista Mad e do personagem Alfred E. Neuman, o carinha sardento e banguela mascote da publicação.  O cartunista criou também as famosas tirinhas Little Annie Fanny que foram publicadas na revista Playboy.

Al Feldstein – além de ilustrador o artista americano é escritor e foi também editor das revistas Mad e EC Comics.

Jack Kirby – é o maioral, o mais bam-bam-bam artista da história em quadrinhos ever. Dizem que desenhou mais de 25.000 páginas de hqs!  Criou o Capitão América e o Surfista Prateado. Produziu e ilustrou Sandman, O Quarteto Fantástico, Thor, Hulk, X-Men, O Homem de Ferro entre outros.

 

Com tantas referências boas assim, o cara virou referência pra mim.

Adoro as pin-ups fatale que ele desenha. São charmosas, perigosas e gostosas. E foi buscando referências na arte de Sol Rac que criamos a ilustração para o Espelhinho Sou Pin-up.

Tudo isso é coisa que a gente gosta! =)

 

 

 

 

Diane Zerr é uma designer e ilustradora da Pensilvânia – EUA,  que faz convites de casamento inspirados em tatuagens old school.

Alguns cartões são inspirados em temas recorrentes desse estilo de tatuagem.

Esse foi inspirado em tattos e rock´n roll:

Inspiração Navy:

Romântico vintage:

 

São lindos e uma ótima idéia para casamentos de amantes da arte old school.

 

A dica foi do Giovani Castelucci via Caligraffiti.

 

 

Tattoo Age é o novo seriado que vai te levar ao mundo da tatuagem através de uma série de perfis de alguns dos artistas mais interessantes e procurados do mundo.

A série vai começar em 13 de julho com Dan Santoro e os novos episódios trarão artistas como Troy Denning, Mike Rubendall, Freddy Corbin e Grime. Vai ao ar até novembro na vbs.tv

via ink butter

Norman Keith Collins, mais conhecido como Sailor Jerry nasceu em 14 janeiro de 1911 em Reno, Nevada. Quando criança, pulou de trens de carga por todo o país e aprendeu a tatuar com um homem chamado Tatts Thomas, que lhe ensinou a usar máquinas de tatuagem. Praticando em vagabundos, mais tarde ele navegou o Oceano Pacífico antes de se estabelecer no Hawaii. Um brutamontes com uma boca suja, sempre usando camiseta branca mostrando seus braços tatuados.

Aos 19 anos, Collins se alistou na Marinha dos Estados Unidos. Foi durante suas viagens subseqüentes no mar, que ele foi descobrir a arte e imagens do sudeste da Ásia. Ele permaneceu como marinheiro pelo resto de sua vida depois disso. Mesmo durante a sua carreira como tatuador, ele trabalhou como um capitão de uma escuna de três mastros grandes. Vela e tatuagens eram apenas dois de seus empreendimentos profissionais. Ele  tocou saxofone em sua banda por anos, e teve até um programa de rádio. Morreu em 1973 mas foi imortalizado por seu trabalho como tatuador.

Collins confiou seu trabalho para duas pessoas, Ed Hardy and Mike Malone, os quais fundaram a empresa Sailor Jerry Ltd. Um empreendimento que desenvolve produtos desde bebidas e roupas até cartas de baralho, entre outras coisas.

Visite o site oficial: www.sailorjerry.com

Kirsten Easthope nasceu dia 11 de outubro de 1964, em Salt Lake City, Utah. Cresceu em uma comunidade onde 90% das pessoas eram mórmons. Como nunca fez parte desta doutrina, ela achava esse ambiente repressivo e extremamente entediante.

De tempos em tempos visitava sua avó na excitante cidade de Reno em Nevada. Lá ela se encantava com o brilho das luzes de néon, as faixadas, estátuas de dançarinas girando em cima do Casino Primadona. Este era o paraíso. Um lugar com glitter, glamour e muitas mulheres lindas e pintadas.

Quando voltava para casa em Utah, ela se refugiava na pista de boliche onde seu avô era campeão semi-profissional. Não é à toa que, anos mais tarde ela iria combinar essas memórias de infância em obras de arte maravilhosas.

Depois de frequentar a Universidade de Utah, e concluir sua graduação no Instituto de Arte de Colorado, Kirsten passou vários anos como designer gráfico. Mas aqueles eram tristes anos vazios. Passou a cada dia tentando agradar as massas e assimilar o mundo corporativo. Ela sabia que nunca poderia ser feliz no mundo de carrões, poder, e almoços luxuosos de executivos.

Assim, ela desistiu e optou pela vida de uma pobre artista pinup. Hoje em dia ela é extremamente feliz, vivendo em um apartamento minúsculo, no Colorado, com o seu gato preto, stymie.

As Pin-ups de Kirsten enfeitam várias coisas, como guitarras para rockers, botas de cowboy, botas personalizadas para atrizes, jaquetas de couro, pinos de boliche, etc. Sua obra tem aparecido em diversos lugares como nas revistas International Tattoo Art, Club International, Juxtapoz e no livro Vicious, Delicious, and Ambitious, entre outros.

via queenpindeluxe